Principais ameaças à diversidade biológica

Principais ameaças à diversidade biológica

Principais ameaças à diversidade biológica

Passam-se os anos e os debates sobre as questões ambientais continuam em evidência. Muito se fala sobre proteger os seres vivos, mas será mesmo que estamos atentos às ameaças à diversidade biológica?

Em 1993, as Nações Unidas escolheram 22 de maio como o Dia da Diversidade Biológica. A intenção era tornar a data um marco que despertasse a conscientização da sociedade quanto às ameaças à diversidade biológica.

Para reforçar a importância dessa data tão significativa, elaboramos uma sequência com as principais ameaças à diversidade biológica. Vejamos!

5 maiores ameaças à diversidade biológica

Descubra as principais ameaças à diversidade biológica

1. Destruição dos habitats

Talvez essa seja uma das mais complexas ameaças à diversidade biológica. A destruição dos habitats interfere diretamente na sobrevivência dos seres vivos. Devido ao constante desenvolvimento urbano, o espaço silvestre é ocupado e os animais ficam sem local para viver. Por conta disso, eles são obrigados a buscar refúgio e acabam invadindo as residências.

Vale lembrar que as atividades rurais também trazem impactos para a habitação dos animais e para a conservação da flora. Visando dar lugar às práticas agrícolas, o desmatamento de áreas ambientais elimina os habitats dos animais e afeta a vegetação nativa.

2. Uso descontrolado de recursos naturais

Embora o meio ambiente seja composto por diversos recursos naturais, o uso excessivo de matérias-primas compromete, e muito, a diversidade biológica. A caça e a pesca desreguladas diminuem o número de indivíduos, impossibilitando a variabilidade genética necessária para a evolução das espécies. Além disso, a retirada de árvores dificulta a semeadura e acaba com as áreas de procriação.

3. Produção de poluentes

Por mais que as ações globais promovam o controle da emissão de poluentes, a produção de dióxido de carbono continua significativa. Em alta concentração, o CO2 interfere no clima do planeta. A partir disso, o ecossistema entra em desequilíbrio, fazendo com que os animais não encontrem as condições necessárias para a sobrevivência.

4. Introdução de espécies exóticas

A introdução de espécies exóticas é tão nociva quanto às demais ameaças à diversidade biológica. Ao inserirmos o ser vivo em um habitat que não é o seu, ele pode competir pela sobrevivência com as espécies locais. Além disso, há a chance dele procriar excessivamente, gerando surtos de doenças ou, até mesmo, eliminando as espécies nativas.

5. Mudanças climáticas

As transformações climáticas também comprometem a diversidade biológica. Animais, por exemplo, reproduzem-se em tempos específicos. Os períodos de acasalamento baseiam-se em fatores como temperatura, qualidade do ar e estações do ano. Um clima que passa por constantes transformações, sejam elas naturais ou artificiais, faz com que não apenas surjam bloqueios na reprodução das espécies, como também na germinação das plantas.

Por meio das informações aqui destacadas, percebemos o quanto a ação humana traz ameaças à diversidade biológica. Para que o equilíbrio ecológico seja mantido, a sociedade e as instituições precisam trabalhar em conjunto. A Ética Ambiental reconhece a importância da gestão ambiental para empresas. Por isso, disponibilizamos uma consultoria ambiental respeitável. Entre em contato conosco e tenha acesso a mais informações!

Outros links úteis:
consultoria ambiental rj;
empresas de consultoria ambiental;
gestão ambiental nas empresas.

Agência Digital no RJ Ética Ambiental © Todos os direitos reservados.