Relembre os maiores desastres ambientais da história do Brasil

Relembre os maiores desastres ambientais da história do Brasil

Relembre os maiores desastres ambientais da história do Brasil

Os grandes desastres ambientais, que acontecem no país e no mundo, têm o poder de chocar pela destruição não somente da fauna e da flora da região atingida, mas também das vidas e casas de pessoas que vivem próximos a esses locais. Grande parte deles são causados pela falta de gestão sustentável das empresas, que não se atentam para os detalhes das suas operações ou descarte correto dos resíduos e acabam causando tragédias e prejuízos, econômicos e ambientais.

O Brasil é um país com uma impressionante diversidade ambiental, que também já foi palco de desastres ambientais de grandes proporções. Muitos desses desastres refletem até hoje na vida de diversas pessoas, que lutam na justiça para serem indenizadas e tentam reconstruir as suas vidas, além de estragos ambientais que podem nunca ser revertidos.

Apesar de tristes, é preciso que nos lembremos desses episódios, para que atitudes sejam tomadas para que não se repitam. Por isso, a Ética Ambienta preparou esse artigo, relembrando seis dos maiores desastres ambientais do Brasil. Confira!

6 maiores desastres ambientais do Brasil

Incêndio na Vila Socó (São Paulo, 1984)

Em 1984, a cidade de Cubatão, em são Paulo, era uma área de segurança nacional, onde cerca de seis mil pessoas viviam em terrenos próximos às instalações de tubos da Petrobrás, utilizados para o transporte de derivados de petróleo.

No dia 24 de fevereiro, houve um erro de operação que acarretou em um dos maiores desastres ambientais do país: cerca de 700 mil litros de gasolina vazaram, causando um grande incêndio e sem nenhum plano de evacuação da área.

O solo e parte do lençol freático da região foram contaminados e os números oficial são de 93 mortos. Ninguém foi responsabilizado criminalmente pelo desastre e as famílias que viviam na Vila Socó receberam uma pequena indenização e casas em um bairro vizinho.

Contaminação de Césio 137 (Goiás, 1987)

É um dos maiores desastres ambientais causados por radiação do mundo. Em setembro de 1987, dois catadores de material reciclável abriram um aparelho radiológico que estava abandonado em um antigo hospital na cidade de Goiânia e encontraram um pó branco, que emitia uma luminosidade azul. Tratava-se do Césio, um dos materiais mais radioativos que existem.

Eles levaram esse material para diversos pontos da cidade, causando a contaminação de água, solo e ar. Pelo menos quatro pessoas morreram em decorrência da exposição e outras centenas desenvolveram doenças.

A justiça condenou três sócios e um funcionário do hospital abandonado por descarte incorreto de material perigoso e eles foram condenados a três anos de prisão, que foram convertidos para prestação de serviços comunitários.

Vazamento de óleo na Baía de Guanabara (Rio de Janeiro, 2000)

No dia 18 de janeiro de 200, um dos maiores desastres ambientais marítimos aconteceu no Rio de Janeiro. Cerca de 1,3 milhões de litros de óleo foram lançados na Baía de Guanabara, em decorrência de um problema originado em uma das tubulações da Refinaria de Duque de Caxias.

O desastre teve proporções gigantescas, como a contaminação do espelho d’água da Baía de Guanabara, causando destruição para a fauna nectônica e planctônica; contaminação das areias e costões da Ilha do Governador e de Paquetá; prejuízos à vegetação do mangue; prejuízos à avifauna e às atividades pesqueiras. O Ibama aplicou duas multas à Petrobrás: uma de 50 milhões e outra de 1,5 milhão de reais.

Vazamento da barragem em Cataguases (Minas Gerais, 2003)

Um dos maiores desastres ambientais envolvendo barragens aconteceu na cidade de Cataguases, MG, em março de 2009. O acidente aconteceu na Fazenda Bom Destino, localizada a 13 quilômetros da área urbana do município. Com o rompimento da barragem, 900 mil metros cúbicos de rejeitos industriais, composto basicamente por lignina e sódio, foram lançados na bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul, um dos mais importantes do estado. O abastecimento de água foi interrompido por mais de uma semana em diversas cidades ribeirinhas e cidades do RJ que fazem divisa com MG, como Muriaé, também foram atingidas. o Ibama aplicou uma multa de 50 milhões de reais à Floresta Cataguases e Indústria Cataguases de papel.

Deslizamentos na região serrana do Rio (Rio de Janeiro, 2011)

É o maior dos desastres ambientais naturais do país. Em janeiro do 2011, o volume de chuvas em 12 dias nas cidades de Nova Friburgo e Teresópolis, onde os estragos foram maiores, superou em 84% todo o previsto para o mês de janeiro. As chuvas fortes, aliadas à baixa capacidade de drenagem do solo e as encostas da região, constituídas por uma camada fina de terra e vegetação sobre as rochas, deram um resultado desastroso: enchentes e deslizamentos, que mataram mais de 800 pessoas e deixaram mais de 15 mil fora de suas casas.

Rompimento da barragem de Mariana (Minas Gerais, 2015)

maiores desastres ambientais

O acidente de Mariana é o maior dos desastres ambientais envolvendo barragens do mundo inteiro. No dia 5 de novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão, na unidade industrial de Germano, provocou uma onda de lama que devastou os municípios próximos, sendo o de Bento Rodrigues o mais atingido. Foram 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos, formados por restos de minério provenientes de operações da empresa Samarco, controlada pela Vale.

A lama atingiu a bacia do Rio Doce, que abastece diversas cidades de MG, e atingiu cerca de 80 quilômetros do leito d’água na região. Houve alterações significativas nos padrões de qualidade da água, causando a mortandade de animais terrestres e aquáticos. Além disso, diversas espécies de vegetação foram atingidas, devido ao assoreamento dos rios e à contaminação do solo pela alta quantidade de ferro e uma concentração de mercúrio, encontrados a partir de amostras.

A Samarco, responsável pelas atividades de mineração na região, recebeu diversas multas do Ibama, totalizando um valor aproximado de 250 milhões de reais, além de ser obrigada a arcar com todos os custos indenizatórios individuais e coletivos dos moradores dos municípios atingidos e ainda com a recuperação ambiental da área impactada que, além que difícil, possui um tempo imprevisível de incansável trabalho de órgãos ambientais.

Ainda que alguns desastres ambientais no Brasil tiveram causas naturais, grande parte deles poderiam ter sido evitados por meio de uma gestão ambiental mais efetiva nas empresas, por meio de relatórios e mapeamentos de risco, além de estudos aprofundados sobre as condições ambientais das regiões em que as empresas atuam.

Por isso, contar com uma empresa de consultoria ambiental é tão importante. Uma equipe de profissionais trabalha para auxiliar na tomada de decisões, a fim de aliar o crescimento econômico da empresa, com atitudes sustentáveis e que não prejudiquem o meio ambiente.

A Ética Ambiental é uma empresa que presta consultoria ambiental no RJ, oferecendo soluções eficientes e personalizadas, para que cada tipo de negócio caminhe de maneira sustentável.

Entre em contato conosco e deixe que a Ética Ambiental ajude a sua empresa a fazer uma gestão eficiente dos resíduos!

Links úteis:
consultoria ambiental 
empresas de consultoria ambiental
empresas de gestão ambiental

Agência Digital no RJ Ética Ambiental © Todos os direitos reservados.